Conhecendo Novos Websites

27 Nov 2018 04:39
Tags

Back to list of posts

social-network-banner-connected-icons-group-people-around-globe-blue-background-vector-illustration-teamwork-concept-77907395.jpg

<h1>UOL Mais &gt;Aspiro Obter Pela Mega Sena! Esquema Matem&aacute;tico</h1>

<p>Por esse primeiro de maio, ironicamente, o Facebook passou a “dificultar” o trabalho dos profissionais da querida &aacute;rea de monitoramento de m&iacute;dias sociais. Nessa data, passaram a valer as outras regras das APIs do Facebook. O principal encontro para o mercado de monitoramento de m&iacute;dias sociais &eacute; que nenhuma ferramenta, nem usu&aacute;rio, ser&aacute; capaz de fazer coleta de fatos brutos a come&ccedil;ar por procura de termos. Isso significa que n&atilde;o teremos mais acesso ao texto bruto ou ao perfil dos usu&aacute;rios (nem sequer nome e avatar!) de quem mencionar as marcas em tuas timelines (fora de p&aacute;ginas e grupos). Os impactos negativos desta altera&ccedil;&atilde;o s&atilde;o os mais &oacute;bvios e imediatos.</p>

<p>Em primeiro lugar, as marcas que tentavam descobrir dificuldades espec&iacute;ficos de consumidores individuais a partir do monitoramento de postagens p&uacute;blicas n&atilde;o poder&atilde;o mais faz&ecirc;-lo. Ag&ecirc;ncias e consultorias de busca que realizavam estudos qualitativos baseados no modo discursivo/expressivo de usu&aacute;rios n&atilde;o poder&atilde;o mais fazer isso no Facebook (neste caso h&aacute; v&aacute;rias escolhas, todavia de menor escala - e conte&uacute;do com inten&ccedil;&atilde;o de outro artigo).</p>

<p>A&ccedil;&otilde;es de engajamento que envolviam a participa&ccedil;&atilde;o ativa dos usu&aacute;rios em seus pr&oacute;prios perfis tamb&eacute;m minguar&atilde;o, uma vez que n&atilde;o ser&aacute; poss&iacute;vel monitorar as men&ccedil;&otilde;es para reportar resultados. Tudo isto traz impactos &oacute;bvios pros modelos de servi&ccedil;os e receita de ag&ecirc;ncias e ferramentas. Mas chorar pelo leite derramado n&atilde;o ajuda. Sendo assim vamos usufruir o que for poss&iacute;vel, dadas as condi&ccedil;&otilde;es. Segue uma tabela de materiais comentados que pode proteger muito j&aacute; de disrup&ccedil;&atilde;o.</p>

<p>Apesar de descobrir os t&iacute;tulos dos dois primeiros textos perigosos, visto que tem muita gente que n&atilde;o l&ecirc; ou se informa com aten&ccedil;&atilde;o e podem formar um clima apocal&iacute;ptico, s&atilde;o observa&ccedil;&otilde;es e coment&aacute;rios essenciais. N&atilde;o duvido nada que, daqui um tempo, outras pessoas chegar&atilde;o perguntando: algu&eacute;m conhece uma ferramenta gratuitamente que pegue esses detalhes do Facebook? E ainda por cima ir&atilde;o xingar o Facebook por ter limitado os dados sendo assim.</p>
<ul>
<li>No momento em que Estudar</li>
<li>cinco itens que valeram a pena comprar</li>
<li>Corpora&ccedil;&atilde;o onde ir&aacute; registrar teu dom&iacute;nio</li>
<li>cinquenta e oito coment&aacute;rios pra “Um gabinete inteiramente feito &agrave; m&atilde;o”</li>
<li>2 - PESQUISE</li>
</ul>

<p>Se voc&ecirc; quer detalhes legais, bem agregados, organizados, n&atilde;o apenas no Facebook, contudo em todas as algumas redes, voc&ecirc; tem que pagar por uma ferramenta. Social media n&atilde;o &eacute; gr&aacute;tis, como ainda muita gente pensa. H&aacute; um servi&ccedil;o s&eacute;rio por tr&aacute;s de tudo. Antes de destinar-se pras dicas t&eacute;cnicas, amaria de lembrar da import&acirc;ncia de se raciocinar a atua&ccedil;&atilde;o por esse mercado n&atilde;o apenas em termos da receita que voc&ecirc; vai receber hoje com uma plataforma espec&iacute;fica. Todavia bem como em termos de sa&uacute;de da internet como um todo.</p>

<p>O modelo de neg&oacute;cio do Facebook, ao contr&aacute;rio de corpora&ccedil;&otilde;es como Google e Twitter, n&atilde;o se baseia na livre circula&ccedil;&atilde;o de sugest&otilde;es na internet, mas sim pela constru&ccedil;&atilde;o de barreiras para que tudo fique dentro do Facebook. N&atilde;o &eacute; &agrave; toa que Tim Berners-Lee, um dos inventores da internet, alertou a respeito do perigo que o Facebook traz aos princ&iacute;pios da Web. Ano passado, nos 10 anos do Facebook, escrevi como o Facebook tornou-se um “ponto obrigat&oacute;rio de passagem“, um n&iacute;vel de centraliza&ccedil;&atilde;o de poder muito danoso. Pra comparar, recomendo o texto, tamb&eacute;m de minha autoria “250 milh&otilde;es de motivos para proteger o Twitter“. Para uma vis&atilde;o mais ligada &agrave; busca acad&ecirc;mica, leia o muito bom texto “The redistribution of methods: on intervention in digital social research, broadly conceived”, da Noortje Marres.</p>

<p>De 2012, discute como a abund&acirc;ncia de dados sociais hoje traz novas oportunidades e desafios para a constru&ccedil;&atilde;o de conhecimento, principlamente para a pesquisa acad&ecirc;mica. Um dos motivos &eacute; a centraliza&ccedil;&atilde;o destes dados em organiza&ccedil;&otilde;es como Facebook e Google. Tr&ecirc;s anos depois, o Facebook piorou bastante a ocorr&ecirc;ncia para todos.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License